As mãos e braços são partes do cor­po que con­têm um grande número de ter­mi­nações ner­vosas, o que per­mite ter movi­men­tos mais del­i­ca­dos e sen­tir obje­tos e alter­ações de tem­per­atu­ra, por exem­p­lo. Dessa for­ma, qual­quer peque­na alter­ação que pos­sa afe­tar ess­es ner­vos pode provo­car o surg­i­men­to de formiga­men­to ou dormência.
Assim, algu­mas das causas mais comuns são: a pressão nos ner­vos, como pode sur­gir na sín­drome do túnel do car­po, na hér­nia de dis­co ou osteoartrose da col­u­na cer­vi­cal, por exem­p­lo, como tam­bém pode indicar difi­cul­dades na cir­cu­lação san­guínea, infla­mações, enx­aque­ca ou doenças mais sérias, como dia­betes, hipotireoidis­mo, defi­ciên­cia de vit­a­m­i­nas, AVC, escle­rose múlti­pla ou infarto.
Em qual­quer caso, se o formiga­men­to for inten­so, demor­ar muitos dias para desa­pare­cer ou se sur­gir asso­ci­a­do a out­ros sin­tomas como cansaço exces­si­vo, dor no peito ou difi­cul­dade para falar é impor­tante ir à con­sul­ta com o médi­co para ini­ciar o trata­men­to ade­qua­do, que varia de acor­do com a causa.

Possíveis causas do formigamento

Algu­mas das causas mais fre­quentes do formiga­men­to ou dor­mên­cia nas mãos são:

1. Sín­drome do túnel do carpo

Esta sín­drome é a prin­ci­pal causa de formiga­men­to nas mãos e acon­tece quan­do o ner­vo medi­ano, que iner­va a pal­ma da mão fica pre­so na região do pun­ho, cau­san­do formiga­men­to ou dor­mên­cia que pio­ra à noite, difi­cul­dade para segu­rar obje­tos pequenos e sen­sação de ter os dedos inchados.
O que faz­er: depen­den­do da gravi­dade da com­pressão do ner­vo medi­ano exis­tem exer­cí­cios que podem ser feitos para mel­ho­rar os sin­tomas, no entan­to, a úni­ca for­ma de garan­tir a cura é faz­er a cirur­gia de descom­pressão do nervo.

2. Epi­condilite lateral

A epi­condilite, tam­bém con­heci­da como cotovelo de tenista, é uma infla­mação dos mús­cu­los e tendões do cotovelo que surge dev­i­do ao uso repet­i­ti­vo da artic­u­lação, como acon­tece em jogadores de tênis ou pes­soas que tra­bal­ham em lin­has de mon­tagem, por exemplo.
Nestes casos, pode haver uma dor inten­sa no cotovelo e per­da de força em todo o braço, e o formiga­men­to cos­tu­ma sur­gir pela com­pressão do ner­vo ulnar, local­iza­do no braço, dev­i­do à inflamação.
O que faz­er: a apli­cação de com­pres­sas geladas no cotovelo pode aliviar os sin­tomas, porém, pode ser necessário faz­er sessões de fisioter­apia ou tomar med­icações. Assim, é sem­pre impor­tante con­sul­tar um ortopedista.

3. Dia­betes descontrolada

Por vezes, a dia­betes pode ser uma doença difí­cil de diag­nos­ticar, espe­cial­mente se não provo­car os sin­tomas clás­si­cos como von­tade muito fre­quente para uri­nar ou sede exces­si­va. Ness­es casos, o trata­men­to não é ini­ci­a­do e, por isso, a dia­betes fica descon­tro­la­da e, então, os níveis de açú­car con­tin­u­am aumentando.
Quan­do os níveis de açú­car estão muito ele­va­dos, por muito tem­po, começam a provo­car peque­nas lesões nos ner­vos de várias partes do cor­po e, por isso, a dia­betes pode ser uma causa de formiga­men­to nas mãos, braços, per­nas ou pés, por exemplo.
O que faz­er: quan­do existe sus­pei­ta de dia­betes é muito impor­tante ir ao endocri­nol­o­gista para ini­ciar o trata­men­to com insuli­na, uma vez que ape­nas as alter­ações na ali­men­tação podem não ser capazes de tratar o formigamento.

4. Cis­to sinovial

O cis­to sinovial pode apare­cer em qual­quer das artic­u­lações das mãos, como pun­ho ou dedos, e geral­mente provo­ca o surg­i­men­to de um pequeno caroço na pele, preenchi­do por líqui­do da artic­u­lação, que pode acabar com­pri­m­in­do os ner­vos e geran­do formiga­men­to na mão, assim como per­da de força.
O que faz­er: aplicar com­pres­sas geladas sobre o caroço pode aju­dar a diminuir o inchaço e aliviar os sin­tomas, no entan­to, podem exi­s­tir casos em que pode ser necessário faz­er aspi­ração do líqui­do ou usar med­icação, deven­do-se con­sul­tar o orto­pe­dista se não exi­s­tir mel­ho­ra após uma semana.

5. Hipotireoidis­mo

Quan­do o hipotireoidis­mo não é trata­do cor­re­ta­mente pode causar lesões nos ner­vos que lev­am a infor­mação entre o cére­bro e o resto do cor­po. Dessa for­ma, além da per­da de cabe­lo, gan­ho de peso ou sen­sação de frio con­stante, o hipotireoidis­mo tam­bém pode causar formiga­men­to em várias partes do cor­po, incluin­do as mãos e braços.
O que faz­er: quan­do já se sabe que se tem um prob­le­ma na tireoide, ou quan­do existe sus­pei­ta, deve-se ir ao endocri­nol­o­gista para ini­ciar o trata­men­to ade­qua­do com remé­dios que con­tro­lam a tireoide.

6. Infar­to

O formiga­men­to ou dor­mên­cia no braço esquer­do, ou mais rara­mente, no braço dire­ito, pode ser um sin­toma de infar­to, prin­ci­pal­mente quan­do pio­ra ao realizar esforços ou está acom­pan­hado de out­ros sin­tomas como dor no peito, fal­ta de ar, mal estar ou suor frio.
O que faz­er: em caso de sus­pei­ta de infar­to, é necessário diri­gir-se ime­di­ata­mente ao pron­to-socor­ro para que, caso seja con­fir­ma­do, o trata­men­to seja ini­ci­a­do o mais rap­i­da­mente pos­sív­el, de for­ma a pre­venir lesões irre­ver­síveis no coração.

7. AVC

Emb­o­ra seja uma situ­ação mais rara, um dos primeiros sin­tomas do AVC é a sen­sação de formiga­men­to em um braço ou mão. Além dis­so, out­ros sin­tomas comuns deste prob­le­ma incluem boca tor­ta, fal­ta de força em um dos lados do cor­po e difi­cul­dade para falar.
O que faz­er: em caso de sus­pei­ta de AVC deve-se procu­rar ime­di­ata­mente um pronto-socorro.

8. Pressão nos nervos

Os ner­vos que iner­vam os braços saem da medu­la, pas­san­do através da col­u­na, e chegam até as partes mais per­iféri­c­as das mãos e dedos. Ao lon­go do tra­je­to, estes ner­vos podem ser pres­sion­a­dos, seja por tumores, infecções ou vasos san­guí­neos dilata­dos, como pela radicu­lopa­tia da col­u­na, que é quan­do os ner­vos são com­pro­meti­dos ain­da na col­u­na ver­te­bral, por uma hér­nia de dis­co, osteoartrose da col­u­na ou estenose do canal ver­te­bral, por exemplo.
O que faz­er: é necessário procu­rar atendi­men­to do orto­pe­dista ou neu­rol­o­gista, de for­ma que seja real­iza­do o trata­men­to de acor­do com a causa da com­pressão do ner­vo, seja com fisioter­apia ou cirur­gia, por exemplo.

9. Defi­ciên­cia de vitaminas

A defi­ciên­cia de cer­tas vit­a­m­i­nas, prin­ci­pal­mente as vit­a­m­i­nas B12, B6, B1 ou E, pode provo­car alter­ações nos ner­vos que cur­sam com formiga­men­tos em diver­sas partes do cor­po e alter­ações na sen­si­bil­i­dade, além de diver­sas out­ras como irri­tabil­i­dade, cansaço e alter­ações psiquiátri­c­as, por exemplo.
O que faz­er: estas defi­ciên­cias podem ser com­bat­i­das por meio de uma ali­men­tação espe­cial rica nes­tas vit­a­m­i­nas ou por meio da reposição de suple­men­tos vita­míni­cos, por via oral ou intra­mus­cu­lar, como pode ser necessário no caso da vit­a­m­i­na B12.

10. Enx­aque­ca

Em muitas pes­soas, a enx­aque­ca pode ser pre­ce­di­da por sin­tomas sen­si­tivos, chama­dos de aura, que incluem formiga­men­tos nas mãos, braços, per­nas ou boca, por exem­p­lo, além de alter­ações visuais, difi­cul­dades na fala ou, até, fraque­za nos membros.
O que faz­er: o trata­men­to da enx­aque­ca é ori­en­ta­do pelo neu­rol­o­gista, e inclui o uso de medica­men­tos para aliviar a dor, além de poder ser necessário o trata­men­to pre­ven­ti­vo e medi­das para evi­tar as crises, como evi­tar cer­tos ali­men­tos, cheiros ou fal­ta de sono, por exemplo.

11. Alter­ações na circulação

Ape­sar de serem mais comuns nos mem­bros infe­ri­ores, as doenças cir­cu­latórias das artérias e veias tam­bém podem atin­gir os braços ou mãos, e provo­car formiga­men­tos, além de out­ros sin­tomas como dor e for­mação de úlceras.
O que faz­er: o trata­men­to é feito a depen­der do tipo de defi­ciên­cia na cir­cu­lação de sangue e se hou­ve com­pro­me­ti­men­to de veias ou artérias, e pode incluir o uso de meias elás­ti­cas, uso de remé­dios, como AAS, ou, até cirur­gia, por exem­p­lo. Para con­fir­mar e decidir o mel­hor trata­men­to, o profis­sion­al indi­ca­do é o cirurgião vascular.

12. Escle­rose múltipla

A escle­rose múlti­pla é uma doença autoimune que causa a degradação grad­ual das fibras ner­vosas do cére­bro e da medu­la espin­hal. Dessa for­ma, alguns sin­tomas incluem per­da de força, cansaço exces­si­vo, fal­has de memória e formiga­men­to em várias partes do cor­po, que tam­bém pode ser acom­pan­ha­da da sen­sação de queimação.
O que faz­er: o trata­men­to pre­cisa ser feito com o uso de remé­dios que atrasam o desen­volvi­men­to da doença. Por isso, é pre­ciso con­sul­tar um clíni­co ger­al ou neu­rol­o­gista para diag­nos­ticar a doença e ini­ciar o trata­men­to adequado.

Con­tate a Clíni­ca Delabor­ba Neu­ro­cirur­gia e Endocrinolo­gia em Brasília-DF para mais infor­mações e mar­que uma consulta.

Fonte: www.tuasaude.com

Load More Posts