O hiper­ti­re­oi­dismo é uma con­di­ção na qual a glân­dula tireóide é hipe­ra­tiva e pro­duz excesso de hormô­nios tire­oi­di­a­nos. É mais comum em mulhe­res entre as ida­des de 20 a 40 anos, mas os homens tam­bém podem ter essa condição.
Se não tra­tado, o hiper­ti­re­oi­dismo pode levar a sérios pro­ble­mas de saúde. Alguns dos mais gra­ves envol­vem o cora­ção (bati­men­tos car­día­cos ace­le­ra­dos e irre­gu­la­res, insu­fi­ci­ên­cia car­díaca con­ges­tiva) e os ossos (oste­o­po­rose). Pes­soas com hiper­ti­re­oi­dismo leve e os ido­sos podem não ter qual­quer sintoma.

Sinais e sin­to­mas de hipertireoidismo:
• Sen­sa­ção de calor
• Aumento da transpiração
• Fra­queza muscular
• Mãos trêmulas
• Bati­men­tos car­día­cos acelerados
• Can­saço / fadiga
• Perda de peso
• Diar­reia ou eva­cu­a­ções frequentes
• Irri­ta­bi­li­dade e ansiedade
• Pro­ble­mas dos olhos, tais como irri­ta­ção ou desconforto
• Irre­gu­la­ri­dade menstrual
• Infertilidade

Cau­sas do hipertireoidismo

A doença de Gra­ves é a causa mais comum de hiper­ti­re­oi­dismo. É uma doença auto imune e crô­nica (que se man­tem a longo prazo) e nor­mal­mente ocorre em famí­lias com his­tó­ria de doen­ças da tireóide. Algu­mas pes­soas com a doença de Gra­ves tam­bém desen­vol­vem inchaço atrás dos olhos, o que pro­voca pro­tru­são dos olhos para fora do globo ocular.

As cau­sas menos comuns de hiper­ti­re­oi­dismo incluem:

• Nódu­los tire­oi­di­a­nos: o pró­prio nódulo pode secre­tar excesso de hormô­nio tireoidiano.
• Tire­oi­di­tes suba­guda: uma infla­ma­ção dolo­rosa da tire­oide tipi­ca­mente cau­sada por vírus.
• Tire­oi­dite lin­fo­cí­tica: uma infla­ma­ção não-dolo­rosa cau­sada pela infil­tra­ção de lin­fó­ci­tos (um tipo de célula branca do sis­tema imune) na tireóide.
• Tire­oi­dite pós-parto: tire­oi­dite que se desen­volve logo após o tér­mino da gravidez

Diag­nós­tico do hipertireoidismo

O seu médico fará um exame físico deta­lhado e soli­ci­tará exa­mes de san­gue para medir seus níveis hor­mo­nais. Você tem hiper­ti­re­oi­dismo quando os níveis de hormô­nios tire­oi­de­a­nos estão ele­va­dos e o nível de TSH está menor que a refe­rên­cia. O diag­nós­tico ainda pode ser com­ple­men­tado por exa­mes de imagem.

Tra­ta­mento do hipertireoidismo

O tra­ta­mento do hiper­ti­re­oi­dismo depende da causa, da idade, da con­di­ção física da pes­soa e de quão sério é o seu pro­blema de tire­oide. O seu médico indi­cará a melhor opção de tra­ta­mento, que incluem:

• Medi­ca­men­tos anti­ti­re­oi­di­a­nos: essas dro­gas dimi­nuem a quan­ti­dade de hormô­nio pro­du­zido pela tireóide.
• Iodo radi­o­a­tivo: tra­ta­mento mais defi­ni­tivo mas que pode levar ao hipotireoidismo.
• Cirur­gia: opção em casos muito específicos.
• Beta-blo­que­a­do­res: medi­ca­men­tos usa­dos ape­nas para con­tro­lar sin­to­mas gra­ves, como a freqüên­cia car­díaca ace­le­rada, tre­mo­res e ansiedade.

Con­tate a Clí­nica Dela­borba Neu­ro­ci­rur­gia e Endo­cri­no­lo­gia em Bra­sí­lia-DF para mais infor­ma­ções e mar­que uma consulta.

Fonte: www.endocrino.org.br

Load More Posts